domingo, 27 de fevereiro de 2011

A fome criativa

Todo mundo sabe que a Gávea é longe. Todo mundo que mora depois do túnel. Beeeeem depois. Então imaginem eu voltando da faculdade as 17 e 30 mais ou menos, chegando já na central. Já tava numa fome danada. Convenhamos né 17 e 30 você chegar na central e encontrar um trem com lugar pra sentar é milagre. Naquele dia então os ceus estavam ao meu favor (pelo menos era o que parecia). Entrei e só vi o banco lá me esperando, lugarzinho preciso. Quando me sento, estaria eu imaginando coisas? Não. Não tinha reparado mas o moço do meu lado estava comendo um LANCHE DO MC DONALDS. Batata frita. Ai mãe do céu, que judiação. De repente o homem levantou e foi jogar alguma coisa no lixo deixando as batas guardando o lugar. Olhei e ele estava lperto da lixeira e de costas. Não pensei duas vezes. Peguei a batata e sai correndo porta a fora do vagão. "Ei garota, ta maluca?" gritou. E quando eu ja estava longe e ia come-las apareceu um segurança. "Ei você! quer dizer que anda roubando batatas dos outro, ein!"
Não. Isso não aconteceu. Abri os olhos e foi uma alucinação criada pela minha imaginação faminta. O homem ainda estava do meu lado comendo as batatinhas tão suculentas.
"Quer uma menina?" Não, ele também não me ofereceu. Isso também foi coisa da minha cabeça.
Mas o cheiro. Ai o cheiro. Agora já estava vendo as batatinhas dançarem pra mim.
Enfim acabou. Ele terminou de comer as batatas. E acreditem, ELE AINDA IA COMER O HAMBURGUER!
Só porque eu não como mais carne não quer dizer que o aroma não seja bom. E lá vai tortura de novo. Depois de cenas criadas pelos meus picos fome como me imaginar tomando o hamburguer da mão dele e jogando pela janela, o homem que ainda reclamava da propria comida terminou tudo.
Ufa. O trem parou e o locutor anunciou: "Estação praça da bandeira."

domingo, 30 de janeiro de 2011

Ainda estou aprendendo

As vezes eu me sinto um peixe fora d´água. Sabe, acordar e pensar " o que que eu to fazendo aqui nesse mundo?" "Quem são essas pessoas?". Por vezes em muitos lugares eu era o ET. Ja fui criticada por dizer que o dinheiro nem sempre traz a felicidade, de maluca porque gostava de cantar musicas, ja fui ignorada por acreditar na teoria da evolução muito mais aprofundada do que dizem por ai, já riram da minha cara porque eu disse que acreditava em Deus, desacreditada por me acharem ser irresponsável. Nem sempre uma crítica é convertida para o nosso bem. A crítica pode machucar de verdade se a gente não sabe lidar. E eu nem sempre sei lidar. Não é que eu ache ruim. É bom. Nos faz crescer se a gente aplica ela de alguma forma. Algumas não acrescentam em nada, e são exatamente essas que precisamos jogar fora. Mas as vezes a gente se apega a remoer. Por que disseram isso ou aquilo? me pergunto. De primeira, se é uma coisa que não concordo, é como tomar um soco. Não tem reação. Zonza até cair em si e se recuperar. E aí se não me seguro, dou uma resposta. Mas se você não sabe ouvir uma crítica negativa e refletir sobre ela, provavelmente a sua reação é infantil. Assim são as crianças quando são contrariadas. Elas ainda não tem maturidade de entender que aquilo, por mais que não goste, vai ser para o seu bem.
Mas e o jeito com que se fala. É pois é. Tenho uma dificuldaaaaade com isso...
Tanto de falar, quanto de escutar. Por que se a sua intenção é boa, por mais que suas palavras não sejam lapidadas o outro sente o que voce esta pensando e sentindo. Mas se só quer impor sua opinião, se acha que é superior só porque tem um pensamento diferente, voce pode estar dizendo "eu te amo" que vai soar ruim. Vai ser um deboche. É isso que dá o tom. A sua intenção. Afinal 80% da nossa linguagem é não verbal.
Tem vezes que eu chego em um lugar e já sinto um monte de coisa. Um olhar de uma pessoa já me dá muitas impressões.
A verdade é que podemos e devemos criticar, mas acredito na importância da utilidade, na intenção com que se fala e na mudança que essa crítica pode causar na vida de alguém.
Afinal queremos criticar ou julgar?
Ainda estou aprendendo...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Elemento necessário

Começa no silêncio do barulho da rua. Passo a passo sigo o que eu tenho que fazer. Mas o tédio é sorrateiro. A mente não cessa. Na plataforma a espera pelo trem. O vício é tão grande que a cada estalo na linha férrea é uma nota, uma composição. " tá tá tum tum" Seria um fá sustenido? O raciocínio é voltado pra isso. Para a descoberta do que esta implícito no ar. Os peixes são os últimos a enxergar a água. Por estarmos inseridos num universo de leis, de açoes e respostas, transformamos tudo em um mistério. Se descobrimos algo, inventamos. Inventamos o que sempre esteve ali, mas não enxergavamos, como as leis da natureza. Música. Necessidade existencial. Algo tão sublime que está em todo lugar, que existe no silêncio. Tropeço em notas todos os dias. Fecha os olhos. Você pode sentir o pulsar do planeta, do espaço, do sistema solar. Existe uma hamonia e cada rotação é uma corda afinada. Existe harmonia aqui, ai no seu quarto, na sua sala. É lei da natureza também. Você não vê a gravidade. Apenas sente acontecer. Nem eletricidade. Apenas observa o resultado. Ninguém vê a música, talvez nem ouça. Podemos senti-la em nós o tempo todo. Cada um é uma música, um tom, uma nota. Basta querer afinar-se. Afinar-se pra si. Gostar do seu tom do que se tem a dizer com as próprias notas. Existem móleculas musicais na composição do organismo humano. Um elemento que deveria estar na tabela periódica.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Olha só o que é que acontece no final do período de arquitetura...

As pessoas piram!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Funk no ônibus




Ola amigos. Desculpem a looonga ausencia. Mas a faculdade realmente me pegou nesses ultimos meses.... sem contar com problemas de pequenas reformas e com isso problemas na internet. Formataçoes com virus que quase assassinaram o pc... enfim gente o importante é que eu to aqui firme e forte pra gente poder trocar aquela ideia bacana... Afinal de contas tirei ferias de vocês praticamente, agora é hora de contar tudo o que aconteceu.

Mas antes de contar como foi as férias, hoje, eu queria falar de uma coisa muito séria. Aconteceu ontem. Provavelmente já aconteceu com todo mundo. E com quem nao aconteceu, provavelmente esses se lamentam por isso acontecer...
Estava eu tranquila no ônibus com meu irmão ontem e aí o cara atras da gente colocou um funk bem alto no celular... Até aí tudo mais ou menos razoavel. Mas de repente os que estavam do outro lado do ônibus começaram colocar funk no celular também, mais alto ainda e começou entre eles uma espécie de DUELO DO FUNK MAIS ALTO! O meu irmão muito são olhou pra mim e disse: "graças a deus, ingrid, graças a Deus..."
"graças a Deus o que?"
" Que eu não tenho porte de armas..."


A gente começou a rir... Por uns 30 segundos o milagre ia acontecer. Não, não. Eles na iriam desligar o celular, nem descer, nem mudar de lugar. Esse era o refrão da música GOSPEL que um deles colocou pra tocar. Gente eu nao tenho nada contra nenhum estilo entende, música é vida, mas ninguem pode interferir na vida do outro com a sua música né... não nesse contexto.

-Isso ai, Ingrid devem ser meus inimigos espirituais ... eles estao dizendo " vai vai perde a paciencia, Victor..."

- Talvez eles que estejam obssediados, Victor...

Vitinho e eu começamos entao a lembrar de filmes e series engraçadas pra ver se o estresse passava e até que deu certo. Enfim, acabou a playlist deles. E sabe o que eles fizeram? ELES COLOCARAM PRA TOCAR TUDO DE NOVO!!
Faltava alguns metros pra chegar o nosso ponto e tinha um engarrafamento enorme pela frente.

"ô piloto, pode abrir aqui pra gente? Valeu valeu..."
E nunca foi tão bom chegar em madureira...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Que caminho seguir?




E a menina perdida no pais das maravilhas encontrou um gato esquisito em cima de uma árvore. Ansiosa ela pergunta. "qual é o caminho certo?" O gato muito sereno responde: " mas aonde voce quer chegar?" "Eu nao sei" respondeu a menina. O gato transbordando tranquilidade responde "Então qualquer caminho serve."




Quando eu consegui colocar tv a cabo na minha casa era alegria todo dia. "São tantos canais!!" "Ah eu quero ver isso eu quero ver aquilo..." Chegava a colocar lembrete no celular pra despertar só pra poder assistir os tais filmes, programas e series. O problema era a indecisão. Opção demais, variedade de mais. O ser fica perdido de controle na mão. E assim segue na vida. Eu descubro todo dia um gosto e aptidão diferente. Não to dizendo que sou uma desgovernada, perdida que não sabe em que canal parar. Só digo como que é cada vez mais dificil fazer escolhas. Escolhas sem arrependimentos. "Será que se eu tivesse escolhido a outra coisa era melhor?" Até se nao escolhemos, escolhemos. Ora vejam só. E ai fica que nem Alice. Que caminho seguir?




Entrei na faculdade. Ai que é uma loucura. São tantos cursos legais. Tanta diversidade. Acho que gosto de tudo. Depois acho que não tenho nada a ver com aquelas coisas. Mas gosto de arquitetura.




O que se precisa é de rumo. Saber aonde quer chegar como disse o gato. Por que se em meio a loucura de um "País das maravilhas" com coelhos apressados, rainhas arrogantes, chapeleiros insanos, varios cursos maneiros, conseguirmos ter certeza e convicção de onde queremos ir e chegar, saberemos o caminho ate se parecermos perdidos.




Mas se continuamos nessa eterna indecisão e deixar com que a vida faça nossas escolhas porque escolhemos nao escolher, "Qualquer caminho serve..."




Vou começar pela televisão. "Eu tenho certeza que eu quero esse canal..."


domingo, 11 de julho de 2010

um pouquinho de equilibrio

Pense no azul. Na cor da azul. Sua mente pode estimular diversas tonalidades, mas sera sempre azul. Agora mantenha essa cor, esse pensamento. Dificil. Mas se nos esforçarmos e pensarmos "azul azul azul azul..." talvez consigamos. Se no meio da sua meditação de azul, alguem pronunciar a palavra vermelho, o foco pode se perder. A mentalizaçao da cor se mistura. No meio do azul aparece um grande vermelho.
Assim eh com muitos de nossos pensamentos. Estamos mergulhados num mundo de influencias. Digamos de cores e tons diferentes. Se escolhemos um objetivo ou traçamos um rumo diferente daquilo que se ve ao redor, nossa concentração eh mais laboriosa e nosso esforço requer mais sacrificio. Nao que ouvir diferentes opnioes seja errado. Ao contrario. Eh mais que construtivo. Entretanto, faz-se necessario saber lidar com diferenças sem manipulaçoes ou imposiçoes. Respeitando as prioriodades de cada ser. Com seu grau de entendimento do mundo. E isso nao eh tao dificil de se perceber. Basta ser um pouquinho mais tolerante. Impor seus limites com amor. Ja pensou nisso? Como impor limites com amor? Sem melindres?
As falhas de identificaçao de sentimentos confundem as mentes. Misturando o orgulho, vaidade e egoismo. Dai vem as mas interpretaçoes, as brigas sutis que minam os relacionamentos.
Essa eh a grande busca do momento. O equilibrio do convivio. Temos objetivos morais a serem alcançados. Mudanças em nos mesmos que queremos fazer. Como na nossa vida tambem. Tentamos manter o foco, mas em um minuto de nao vigilancia nos perdemos, porque deixamos que outras "cores" nos tirem atençao. Temos no intimo, de acordo com nossas convicçoes, as soluçoes e as metas que queremos alcançar, porem eh preciso ter vontade. A vontade nos impulciona ao trabalho e diaria reformulação mental. O incomodo causado por uma ideia de avanço eh o que nos traz os ataques. Nos minimos detalhes somos convidados a esquecer a ideia de tentar melhorar nossa alma. Se somos teimosos, dizem que assim seremos pra sempre. Se queremos ter mais paciencia, nos dizem que eh impossivel nesse mundo. Se tentamos ser mais humildes, ha os que nos acusam pedantismo. Esses sao aqueles que gritam "vermelho vermelho" quando se quer ter o foco no azul. Temos que ter fe. Nao a fe cega e distorcida, pregada aos quatro cantos do mundo. A fe raciocinada. O acreditar em algo embasado em fatos que ja provaram que aquela vontade pode dar certo.
Temos dores. Muitas. Esmorecemos por vezes em funçao delas. Mas precisamos nos encher de animo e acreditar em nossas proprias mudanças. Pois essas com certeza serao para o nosso proprio progresso. Num futuro nao tao distante. Que possamos ter a vontade de manter o "azul azul azul..." em nossas mentes, nos vigiar, ter certeza dos nossos objetivos. O universo nao conspira contra nos. So quem pode conspirar contra nos somos nos mesmos. As vicissitudes encontradas sao so recursos para progredirmos e aprendermos cada vez mais. So quero ser otimista. So quero tentar olhar o lado positivo dos sofrimentos. Se temos vontade de mudar, eles nos sao proveitosos. Se não, sera so mais martirios desse mundo.