quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Será que é tudo isso em vão?


Venho navegando num mar de duvidas. Mas qual o pesquisador que não tem conflitos? Que não se sente acuado quando se vê mergulhado em dialéticas da sensacional massa cinzenta? O problema são as respostas que não vem. E eu preciso. Esse é o problema. Eu sempre quero ter a resposta pra tudo. Quase sempre as pessoas que querem respostas pra tudo acabam inventando respostas de improviso e acreditando nelas. Deixam de lado uma grande oportunidade de aprender sobre aquilo que não foi raciocinado. Ai o dono da verdade acaba não sabendo de verdade nenhuma. Todo mundo se acha dono da razão. Todos são donos da razão agora! Mas se a razão é uma só e todo mundo conhece por que tanta discussão? Fácil. Todo mundo só quer saber da própria razão esquecendo que existem outras que querem ser ouvidas. (Acertei nessa pergunta?)
A verdadeira razão, aquela que pra ser posta em pratica precisamos abrir mão da nossa, aquela que acaba com conveniências, aquela que derrubaria muitos do poder, que feri sem piedade o orgulho e o preconceito, essa que é abafada por nossos vícios, incomoda. LI-TROS. Litros de incomodo. E por mais que se tente fugir dela, alguma força genial maior do que imaginamos colocou-a dentro de nós, daí passou a se chamar consciência.
Remoer. Simplesmente o que faço. Ué por que eu não sei fazer? Por que eu não entendi isso ainda? Por que é assim? Por que é assado? É tão confortável apenas fazer perguntas. Porque movimento dá trabalho, cansa, mas é o que faz crescer. Então preferimos nos perder entre monstros da nossa própria criação. (Salve Renato, que nem era russo... vai entender...)

Descobertas, algumas eu fiz. Mesmo nesse mar de indagações. Conheci muitos poetas e suas razoes. Tenho aprendido muito com eles. É, tudo poesia. É a forma que se tem de expressar sentimentos, né? E sentimentos não são raciocinados. Quer dizer, até deve existir uma razão pra existir sentimentos, mas essa está muito além da compreensão da nossa razão. E é justamente procurando resposta pra eles que a gente inventa verdade, cria barreira e alimenta orgulho. A natureza também é poeta. Ou seria poetisa? As mulheres não são mais sentimentais? Nunca tire a razão de uma mulher. Vejo seus versos nas flores da primavera, no sol dos verões, nas folhas do outono, nas chuvas do inverno. No vento que carrega as tristezas. Nos temporais que lavam a alma. O mundo é uma grande poesia. Porque por traz de uma poesia existe um sonhador que só quer descobrir os mistérios da vida, existe uma mágoa guardada no coração, existe uma alegria que quer está presente, um apaixonado que não sabe mais o que fazer, uma razão que quer ser ouvida. Por traz de uma poesia existem filósofos e loucos por atenção, existe gente que diz o que sente usando disfarce de inteligente.

O problema é confundir o sentimento com razão. Mas é o que todo mundo faz. Tem até nome pra isso: desculpa. A gente desculpa o que sente por traz de palavras bonitas, por traz de uma poesia, por traz da razão que os pseudo intelectuais falam na televisão. E aí ou vira tudo uma confusão de perguntas e uma busca constante pela verdade, ou vira uma verdade que só você acredita nela. Acontece que mentira disfarçada de verdade não cura sofrimento. Então é melhor mesmo continuar nessa busca incessante pela razão verdadeira, tentar entender as poesias e ouvir a consciência, né? Afinal tanto mistério nesse mundo não deve ser em vão, deve ter alguma razão...

“Crê nos que buscam a verdade. Duvida dos que a encontraram.”
(André gide)