sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Que caminho seguir?




E a menina perdida no pais das maravilhas encontrou um gato esquisito em cima de uma árvore. Ansiosa ela pergunta. "qual é o caminho certo?" O gato muito sereno responde: " mas aonde voce quer chegar?" "Eu nao sei" respondeu a menina. O gato transbordando tranquilidade responde "Então qualquer caminho serve."




Quando eu consegui colocar tv a cabo na minha casa era alegria todo dia. "São tantos canais!!" "Ah eu quero ver isso eu quero ver aquilo..." Chegava a colocar lembrete no celular pra despertar só pra poder assistir os tais filmes, programas e series. O problema era a indecisão. Opção demais, variedade de mais. O ser fica perdido de controle na mão. E assim segue na vida. Eu descubro todo dia um gosto e aptidão diferente. Não to dizendo que sou uma desgovernada, perdida que não sabe em que canal parar. Só digo como que é cada vez mais dificil fazer escolhas. Escolhas sem arrependimentos. "Será que se eu tivesse escolhido a outra coisa era melhor?" Até se nao escolhemos, escolhemos. Ora vejam só. E ai fica que nem Alice. Que caminho seguir?




Entrei na faculdade. Ai que é uma loucura. São tantos cursos legais. Tanta diversidade. Acho que gosto de tudo. Depois acho que não tenho nada a ver com aquelas coisas. Mas gosto de arquitetura.




O que se precisa é de rumo. Saber aonde quer chegar como disse o gato. Por que se em meio a loucura de um "País das maravilhas" com coelhos apressados, rainhas arrogantes, chapeleiros insanos, varios cursos maneiros, conseguirmos ter certeza e convicção de onde queremos ir e chegar, saberemos o caminho ate se parecermos perdidos.




Mas se continuamos nessa eterna indecisão e deixar com que a vida faça nossas escolhas porque escolhemos nao escolher, "Qualquer caminho serve..."




Vou começar pela televisão. "Eu tenho certeza que eu quero esse canal..."


8 comentários:

  1. Esse filme nos traz muitas reflexões, pois inpira mudança... qualquer caminho, definitivamente não é pra mim! Eu um dia me vi nessas indecisões todas e percebi que não tem como ficar em cima do muro na vida, tem que escolher, invariavelmente, o certo ou o errado, um dia vc vai ter que escolher... livre-arbítrio... as vezes dá vontade de não tê-lo né?! mas em compensação, penso que não o tive em outros tempos e como eu o queria!! é como o filme, Alice tinha muitas opções e ao longo de sua maturidade, soube decidir o melhor... que saibamos também pensar, refletir, escolher, se não qualquer caminho serve...

    ResponderExcluir
  2. você não perguntou como foi minha primeira semana na faculdade? pois então, foi exatamente assim.

    ResponderExcluir
  3. "Será que se eu tivesse escolhido a outra coisa era melhor?"

    Como disse Milan Kundera, na Insustentável Leveza do Ser não existe meio de verificar qual é a boa decisão, pois não existe termo de comparação. Como se o ator entrasse em cena sem nunca ter ensaiado. Mas o que pode valer a vida se o próprio ensaio da vida é a própria vida? É isso que faz com que a vida pareça sempre um esboço. No entanto, mesmo " esboço" não é a palavra certa porque o esboço é sempre um projeto de alguma coisa, a preparação de um quadro, ao passo que o esboço que é a nossa vida não é o esboço de nada, é um esboço sem quadro.

    Então, a solução é fazer o que o coração mandar porque não há melhor escolha e nem pior já que só se vive uma vez.

    Adorei a blogada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. *-*
    É bom ler o seu blog...
    Me sinto exatamente assim. ")
    beeijos, e continue escrevendo!

    ResponderExcluir
  5. Se eu pudesse mudar um defeito meu, com certeza seria a indecisão. Não tem coisa mais insuportável do que ficar na dúvida! Por isso que eu odeio quando tenho muitas opções, prefiro ter poucas e tomar o caminho logo de uma vez (que nem sempre pode ser o certo). Acho que o problema não é ficar indeciso, porque isso até certo ponto é normal, mas sim o tempo que você demora pra tomar uma atiutde. Pensar demais faz com que as coisas aconteçam enquanto você fica parada, aí acaba te prejudicando. Já sofri tanto por isso! Hoje tento trabalhar mais o psicológico...
    E você arrasando como sempre.
    Beijos sumida !

    ResponderExcluir
  6. Bom o seu blog. Muito bom mesmo. Vim lhe convidar a visitar o meu e se possivel seguirmos por eles. Estaremos gratos. Abrass
    e sigamos por aqui
    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. O questionamento de alice é filosofico, pois nele reside a procura de sentido para a existência. Esse sentido não pode ser criado por ninguem a nao ser por nos mesmos enquanto seres livres. Eliashenriquepib@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Chega um momento na vida em que inevitavelmente temos que nos achar neste mundo conturbado e contingente, para assim traçar uma linha que nos oriente em um sentido, significado, portanto, nossa existência. Eu sou Elias, moro em ji-paraná estudo na unir e posso dizer que estou chegando a esse mesmo dilema da Alice. O dilema da Alice é uma metáfora do que todos um dia hão de passar ou ja passaram. Parabenizo vc Ingred pela pertinência desse tema, afinal todos deveriam pensar mais criticamente sobre o sentido das coisas. Eliashenriquepib@hotmail.com

    ResponderExcluir